A mais antiga música escrita

Há quantos séculos as antigas civilizações fazem uso de escrita musical? Aprenda um pouco mais sobre isso e decida se já não é hora de aprender a ler partituras (com alguns milênios de atraso).

Quando foi que nós, seres humanos, começamos a escrever músicas como forma de transmitir a composição para outras pessoas. Será que os pioneiros da escrita musical imaginavam que seu trabalho atravessaria milênios?

Naturalmente sabemos que a música acompanha a humanidade há muitos anos, certamente há alguns milênios. Mas saber exatamente quando surgiu a escrita musical é realmente algo muito difícil. De todo modo, temos acesso a registros documentais que nos dão uma boa idéia de quão antiga é a habilidade de transmitir música pela escrita. São artefatos descobertos na região da atual Síria.

A professora Anne Draffkorn Kilmer, professora de Assiriologia da Universidade da Califórnia e curadora do Museu de Antropologia de Lowie, em Berkeley, Califórnia, desenvolveu uma interpretação da peça de música escrita mais antiga que já foi descoberta até hoje. A música e a letra foram descobertas na antiga cidade síria se Ugarit no início dos anos 1950. As 29 tábuas de argila (fragmentos, na verdade) em que a música foi escrita tinham cerca de 3.400 anos de idade. Isso é cerca de 1.400 anos mais velho do que era a música escrita mais antiga conhecida até então.

Por aquela região do planeta passaram muitos povos e a escrita das tábuas, que incluem texto e música, foi feita com caracteres babilônicos, mas em língua hurrita, não no idioma da Babilônia – idioma este que é mais conhecido dos pesquisadores.

“Conseguíamos ler o texto porque foi escrito em cuneiforme babilônico, e nós sabemos o valor dos sinais, mas não sabíamos o significado”, disse o professor de Arqueomusicologia Richard Dumbrill, da universidade da Babilônia, no Iraque. (Sim, existe a Arqueomusicologia, e existe uma Universidade da Babilônia). Professor Drumbill estuda estas tábuas de Ugarit há mais de 20 anos.

Segundo Anne Kilmer, “Nós somos capazes de combinar o número de sílabas no texto da música com o número de notas indicadas pelas notações musicais”. Já há diversas interpretações desta música disponível na internet.

As partituras e as gravações sonoras da música escrita mais antiga já descoberta estão disponíveis tanto on-line quanto off-line. Na verdade, a música não é ruim. Não é excepcional, mas também não é ruim. Mas precisamos estar cientes de que qualquer interpretação daquilo que foi escrito há 3.400 anos é exatamente isso: uma interpretação. Jamais saberemos realmente como a música soava em seu próprio tempo, qual o significado exato e nem mesmo porque foi escrita em tábuas, uma vez que o texto não parece nada de excepcional. Trata de assuntos cotidianos banais e também de cunho religioso.

Curiosamente, os pesquisadores sabem bastante sobre os instrumentos produzidos há milhares de anos por aqueles povos, há relatos e registros da construção destes instrumentos – e tudo indica que não são muito distantes de instrumentos antigos ainda hoje preservados em museus. A região sa Síria tem uma longa história na produção de instrumentos e de música.

Aqueles que estão verdadeiramente interessados ​​em música e no modo como a música evoluiu ao longo dos séculos serão curiosos o suficiente para procurar uma cópia dessa partitura. A música realmente dura para sempre!