That’s Entertainment!

Quando eu era garoto, lá em casa escutávamos muito blues e jazz, em razão da influência do meu pai, Renato. Meu pai era engenheiro civil, trabalhava na indústria naval ‒ estaleiro Emaq ‒ e não tocava nenhum instrumento. Entretanto, tinha uma cultura musical muito forte, e íamos frequentemente (eu, aos 5 anos, o acompanhava) à loja de discos Modern Sound, em Copacabana. E lá íamos nós para a seção de LPs. Eram 3 categorias: blues, jazz, trilhas de filmes.

Nas horas vagas, meu pai gravava fitas cassetes e, por hobby, usando um quadro negro e tocando as músicas, dava aulas de história de blues e jazz , boogie-woogie, etc, para parentes e amigos. De curtição, mesmo. E às quartas-feiras ele reunia a família pra assistir. Era muito bem feito e uma rotina muito agradável. Eu adorava. Prestava a maior atenção. E começava também a escutar músicas de trilhas, seja de novela ou de cinema. Às vezes meu pai projetava filmes de rolo na parede branca da sala, com lançamentos da época: “Era Uma Vez No Oeste”, “Desafio das Águias“, “Planeta dos Macacos”, e muitos outros. Nesse quesito “trilhas de filmes”, eu fiquei fascinado por duas. Dois filmes que assisti no cinema me fizeram ficar fã de trilhas sonoras: “Cantando na Chuva” (Singing in the Rain) e “ Era uma vez em Hollywood” (That’s Entertainment ‒ 1974). Foi meu primeiro contato com Fred Astaire, Gene Kelly e Ginger Rogers. E ficava encantado com os musicais, com todo aquele universo. Pra mim, foi o primeiro contato com entretimento de primeira! Meus olhos brilhavam.

Sim, aquilo realmente era Hollywood!

Rodrigo Santos
Rodrigo Santos

Há 36 anos contando a história do pop rock nacional, o baixista e vocalista Rodrigo Santos foi durante 26 anos artista do Barão Vermelho (1991/2017) e também tocou com Lobão, Kid Abelha, Leo Jaime, Miquinhos Amestrados, Os Britos, Blitz e Moska.

Santos está em carreira solo há 11 anos, tendo lançado durante esse tempo solo 7 CDs (6 autorais), 2 DVDs e 1 livro – sua biografia, escrita em parceria com o jornalista Ricardo Puggiali. Na biografia, Santos – além de sua história musical – conta como largou álcool e drogas em 2005 e se tornou coordenador numa clínica entre 2006 e 2009, além de fazer palestras/shows em escolas e faculdades.

Hoje em dia, além de fazer 15 shows solo por mês do DVD "A Festa Rock" e estar lançado seu oitavo disco solo "Desacelerando ( canções simples de uma noite fria)" que já está nas rádios e plataformas digitais, Rodrigo montou outra banda, com o guitarrista inglês Andy Summers (The Police) e o baterista João Barone (Paralamas), chamada Call The Police. Estão rodando o mundo com a tour e Rodrigo canta e toca o baixo em todo o show, com repertório do The Police. Santos também está cantando junto de Leila Pinheiro e Roberto Menescal na tour "Faz Parte do Meu Show - Cazuza em Bossa Nova".  Rodrigo Santos se apresentou solo com muito sucesso nas 4 ultimas edições do Rock In Rio (2011/2013/2015/2017) . Além de ter tocado com Barão na edição de 2001 e com Lobão em 91.

www.rodrigosantos.com.br

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui