Todo mundo que já ouviu, pelo menos uma vez na vida, à famosa Voz do Brasil teve contato com uma das composições mais importantes da música de concerto brasileira. A abertura de um dos programas mais tradicionais do rádio é também a abertura da obra “O Guarani“, do compositor Carlos Gomes.

Carlos Gomes é um compositor brasileiro que nasceu em Campinas (SP) no ano de 1836. Desde criança sempre teve contato com a música. Gomes participava de apresentações das bandas de música da cidade. Ele também compunha e fazia arranjos de grandes obras para a banda do pai. Com o talento visível e suas composições ganhando destaque, ele foi estudar no Conservatório de Música do Rio de Janeiro. Despertou a atenção de Dom Pedro II, um amante da música clássica, e com a ajuda do imperador, ganhou uma bolsa de estudos em Milão, na Itália. Foi no país europeu que o compositor se desenvolveu, e foi lá que ele estreou sua ópera “O Guarani”, em 1870.

Adaptada do romance de mesmo nome do escritor José de Alencar, O Guarani narra uma história de amor, em que a jovem Cecília, filha de um nobre português, se apaixona pelo índio Peri. Para os dois quase adolescentes – Cecília tem 16 anos e Peri, 18 –, é a descoberta do amor de forma pura, que começa com a amizade e se transforma de forma arrebatadora, desafiando as diferenças étnicas e culturais do casal. A ópera também traz em sua história a disputa entre os índios da tribo Aimoré e Guarani. Mostra, ainda, o interesse econômico da Espanha na colônia portuguesa na figura do aventureiro Gonzales que, embora tenha interesse Cecília, tem como principal objetivo dominar a todos para poder explorar as terras indígenas.

foto-da-montagem-de-o-guarani
Foto de Paulo Lacerda

Agora, se você está lendo este texto e nunca ouviu a obra, deve estar imaginando o texto cantado em português pelos solistas e a narrativa em nosso idioma. Pois bem, por mais que O Guarani tenha sido a introdução do Brasil no mundo musical e seja, até hoje, umas das produções brasileiras mais executadas em todo mundo, a ópera é cantada em italiano. A explicação é simples: você leu no início deste texto que Carlos Gomes foi estudar em Milão, na Itália, e foi lá que ele teve suas principais influências musicais. A Itália estava em um ótimo momento de produção operística (a Itália tem uma enorme tradição em produção de óperas). Com tudo isso, Carlos Gomes optou por produzir uma peça no idioma italiano com uma história genuinamente brasileira. Podemos dizer que ele pegou elementos brasileiros, embalou com o idioma italiano e características europeias e entregou ao público. E deu certo, muito certo!

A obra fez muito sucesso em sua estreia, levou o nome de Carlos Gomes, e do Brasil, para o mundo. É ainda um símbolo da música brasileira em palcos internacionais. Em 2018, o Guarani ganhou uma versão produzida pela Fundação Clóvis Salgado. A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, o Coral Lírico de Minas Gerais e solistas convidados entregaram ao público uma bela apresentação, que você pode assistir no vídeo abaixo:

CLOVIS-RIBEIRO
Clóvis Ribeiro

Produtor, repórter e apresentador do programa Harmonia, da Rede Minas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui