Violão Washburn Bella Tono Allure SC56S

Violao-washburn-bella-tono-allure

Design assistido por computador (CAD), fornecimento diversificado de madeira e fabricação modernizada no exterior causaram drástico impacto na qualidade de violões de preço acessível, há alguns anos. Hoje em dia, os refinamentos que baratearam os violões de alta qualidade tornam possível a construção de violões muito bons por um preço acessível. O violão Washburn modelo Bella Tono Allure SC56S é um ótimo exemplo. Por cerca de US$ 450 (nos EUA), está dentro do espectro “acessível”. Mas com recursos como chanfro para apoio do antebraço, frisos de maple e encrustações sofisticadas de abalone, ele também oferece qualidades associadas a violões vários degraus acima desta faixa de preço – além de uma voz equilibrada e versátil.

Paisagem tropical

Cada modelo Bella Tono apresenta o novo corpo “studio” da Washburn, que é aproximadamente do mesmo tamanho de um corpo orchestra ou auditorium. Mas são os detalhes, e não as dimensões confortáveis, que impressionam primeiro. As marcações incrustadas de abalone e turquesa no braço da guitarra retratam um cenário tropical, incluindo uma palmeira que começa em torno do 12º traste e, acima dela, gaivotas em pleno voo. O tampo e a roseta exibem detalhes de abalone. E onde você costuma ver frisos de plástico em uma guitarra nessa faixa de preço, no Allure é de bordo (maple). A parte superior em abeto sólido tem uma tonalidade quente e avermelhada, com uma sutil textura, enquanto o fundo e as laterais são de acácia laminada e também são bem figurados. O atraente pacote é complementado com tarraxas douradas – que, a propósito, são muito suaves e estáveis.

detalhe-da-escala-do-violao-washburn-allure

No geral, o violão Washburn Allure é muito bem construído. O acabamento brilhante do corpo está livre de imperfeições e os ajustes são cuidadosamente executados. Algumas pequenas anomalias são visíveis após uma inspeção minuciosa: alguns detritos do processo de fabricação no interior do violão, um canto da ponte que poderia ter sido mais bem lixado e um pouquinho de aspereza nas extremidades dos trastes. Essas não são irregularidades que você gostaria de ver em um novo violão de alto nível, mas elas não afetam significativamente a tocabilidade do Allure e podem ser ignoradas nesta faixa de preço, e são até mesmo muito corriqueiras.

Familiar e acolhedor

Com as dimensões compactas de corpo e chanfro para apoio do antebraço, empunhar este violão Washburn é super confortável. O braço em perfil C, com acabamento acetinado e ação baixa, parece rápido, leve e convidativo. O cutaway dramático torna possível alcançar até os trastes mais altos com facilidade. E, em termos gerais de tocabilidade, o Allure é o tipo de violão que tanto os guitarristas quanto os violonistas considerariam familiar e acolhedor.

O timbre básico do Allure é agradável, com notas de baixo firmes, mas não gigantes, médios com presença e agudos bonitos e arredondados. Para cima e para baixo do braço, as notas individuais soam consistentes e a excelente entonação oferece às execuções melódicas uma atraente qualidade.

No entanto, embora o Allure possua as dimensões relativamente compactas de um instrumento ideal para fingerstyle, ele não favorece exclusivamente nenhuma abordagem ou técnica específica. Não soa comprimido ou esmagado quando tocado com uma palheta, além de soar bem quando tocado com dedilhado. Você não ouvirá o desempenho de um dreadnought, obviamente. E os músicos que tem um estilo mais definido de batidas em um dreadnought, ou então de fingerpicking, podem preferir um violão com personalidade mais definida para um lado do espectro ou outro. Mas o que o Allure pode perder na pegada, compensa em equilíbrio. E para um guitarrista iniciante que procura uma voz que se encaixe ao seu estilo em desenvolvimento, ou um artista que se move por entre os gêneros, o Allure é uma ótima e neutra plataforma para essas explorações.

chanfro-para-apoio-do-braco
Chanfro para apoio do antebraço

Como muitos instrumentos acessíveis hoje em dia, o Allure é equipado com componentes eletrônicos. Nesse caso, é o LX4 da Barcus Berry, que inclui um captador sob o rastilho e um pré-amplificador com controles de volume, graves, médios, agudos e presença. Há também um afinador embutido. O sistema é alimentado por uma bateria de 9V, acessível através de um compartimento na parte inferior da lateral.

Conectado a um amplificador Fender Acoustasonic com os controles em posição flat, a dupla Allure e Barcus Berry é isenta de ruídos, razoavelmente realista e adequada à voz neutra do violão. Também é razoavelmente resistente ao feedback.

O veredito

No final dos anos 80, comprei um violão de cordas de aço importado que você poderia chamar de “realmente OK” por US$ 800 (cerca de US$ 1.700 em dólares de 2019). Esse violão não tinha a melhor tocabilidade ou timbre, mas era bom de ter sempre à mão. O Allure SC56S da Washburn, que custaria pouco mais de US$ 200 em dólares do final dos anos 80, teria destruído o violão que eu comprei na época. E, embora o visual extravagante não seja do gosto de todo mundo (estão disponíveis variações mais discretas do Bella Tono), a adaptabilidade, o conforto, a tocabilidade e a amplitude de vozes do Allure o tornam um violão notável pelo dinheiro que cobra.

Adam Perlmutter


Adam Perlmutter é um escritor freelance, copista, e gravador que vive em Culver City, California. Ele é colaborador da Premier Guitar, Acoustic Guitar, Guitar Aficionado, e outras revistas de música, e já escreveu diversos livros educacionais, incluindo Color Your Chords (Cherry Lane) e Jim Hall: Signature Licks (Hal Leonard).


Publicidade:

logo-premier-guitar-autor
Premier Guitar

Artigo originalmente publicado em Premier Guitar, traduzido e publicado por Musicosmos sob licença de Premier Guitar. Todos os direitos reservados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui