Guitarra Fender Vintera ’70s Telecaster Custom

É difícil saber quem foi o primeiro a trocar o captador de uma Telecaster dos anos 50 por algo com mais pegada. Terry Reid e Steve Marriott desde cedo adotaram a prática. Keith Richards fez a modificação não muito tempo depois. E mesmo que a era CBS na direção da empresa seja considerada um fiasco, alguém na Fender percebeu claramente a tendência. Apenas cerca de um ano após Keith ter equipado sua Telecaster de 1954 com um humbucker na posição do braço, a Fender apresentou a Telecaster Custom, equipada com um captador single-coil e com o humbucker Wide Range projetado por Seth Lover.

Dado que o próprio Keith adotaria o modelo por conta própria alguns anos depois, provavelmente é seguro dizer que o experimento foi um sucesso.

Apesar do endosso não oficial de Keef, a Telecaster Custom dos anos 70 levou uma surra de puristas durante grande parte de sua história.

Numa época em que muitos guitarristas viam o mundo da guitarra elétrica através das lentes maniqueístas de uma divisão Gibson/Fender, a Telecaster Custom e suas duas irmãs de dois-humbuckers (a Thinline e a Deluxe) pareciam pender demais – ou não o suficiente – para um lado ou outro.

telecaster-custom-70s-de-frente-preta

Esteticamente, a Fender Telecaster Custom – como a Thinline e a Deluxe – é uma mistura. Falta-lhe a economia de design e a graça das Telecasters da década de 50, e o escudo de grandes dimensões e a capa do captador Wide Range tendem a gerar reações de amor ou ódio.

Mas eu gosto da maneira como ela ecoa as evoluções do design nos muscle cars da época – sugerindo arrogância e potência sem obscurecer totalmente as origens mais modestas e utilitárias do design básico.

Em seu disfarce todo preto, em particular, ela tem uma aura fria e ameaçadora, como um Chevelle rebaixado em marcha lenta, pronto para acelerar.

Embora o arranjo de 4 botões de controle e o humbucker tenham como principal influência a Gibson, a Custom ainda parece uma Fender por excelência, e a combinação dos dois mundos pode levá-lo a muitos caminhos inesperados.

A capacidade de configurar os dois captadores para perfis de timbres totalmente diferentes abre inúmeras possibilidades expressivas e de composição. E, embora o humbucker Wide Range não seja tão corpulento quanto um Gibson PAF, os possíveis contrastes entre o estridente captador da ponte da Tele e um Wide Range com timbre fechado são frequentemente mais intrigantes e amplos do que a paleta de dois humbuckers.

fender-telecaster-custom-vintera-anos-70-preta-de-costas

Contrastes à parte, esta versão alnico 5 do humbucker Wide Range é um excelente par para a captação de ponte da Telecaster. Tim Shaw, da Fender, trabalhou significativamente em um espaçamento de bobina mais amplo e mais corretamente vintage.

O resultado é que há muito mais cores e punch nos graves, uma extremidade aguda mais suave, além de consideravelmente mais profundidade e ar do que você ouve nos Wide Range das unidades mais antigas fabricadas no México.

O captador da ponte é muito semelhante ao da Vintera ’60s Telecaster e compartilha com ela os magnetos de alnico 5, peças de pólos escalonadas e resistência de 6,9 Kohm. Mas a equipe de Shaw conseguiu um captador com médios mais pronunciados, o que ajuda a tornar a Telecaster Custom mais forte e agressiva do que o sua contraparte dos anos 60 na posição de ponte.

A Telecaster Custom original pode ter fracassado como uma alternativa à Gibson por não ser suficientemente Gibson. Mas esta versão Vintera ressalta o quão singularmente legal é esta guitarra por suas muitas idiossincrasias.

As combinações de timbre disponíveis são numerosas e capazes de transmitir muitos humores diferentes – inclusive alguns fora do domínio da Telecaster tradicional. Mas é a combinação de simplicidade, leveza e uma voz ampla que tornam a Telecaster Custom tão única e tão boa de tocar.

Leia Também:


Charles Saufley é escritor, editor e músico de São Francisco. Ele é o editor de equipamentos da Premier Guitar desde 2010 e atuou anteriormente como editor da revista Acoustic Guitar.

logo-premier-guitar-autor
Premier Guitar

Artigo originalmente publicado em Premier Guitar, traduzido e publicado por Musicosmos sob licença de Premier Guitar. Todos os direitos reservados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui