Luizão Maia – ícone do contrabaixo brasileiro

O carioca Luiz de Oliveira da Costa Maia começou na música aos 13 anos de idade tocando violão, instrumento que substituiu anos depois pelo contrabaixo acústico. Iniciou sua carreira profissional em 1964 como contrabaixista do Rio Samba Trio. Nessa época, já acompanhava em shows artistas como Tânia Maria e Nelson Cavaquinho e atuava como músico de estúdio, apesar de sua pouca idade. Em 1966, passou para o baixo elétrico, que se tornou seu principal instrumento. Destacou-se, no Brasil e no exterior, como expert do samba no baixo elétrico, sendo o responsável pela criação de uma percussão no baixo que soava como o surdo. Nesse período integrou os grupos Fórmula 7 e A Brazuca.

Já muito requisitado como músico de estúdio, Maia  foi convidado para acompanhar Elis Regina atuando durante treze anos com a cantora, destacando-se os shows no Teatro Olympia de Paris (França), na TV Alemã (ao lado do compositor francês Michel Legrand) e no Montreux Jazz Festival (Suíça), seguindo para o Japão, onde tocou com Herbie Hancock, Wayne Shorter e Sadao Watanabe. Nesse período, participou também de inúmeras gravações de artistas brasileiros, bem como de músicos internacionais do jazz como Lee Ritenour, George Benson e Toots Thielemans.

No início dos anos 80, fez parte, juntamente com João Rebouças (teclado), Zé Luís de Oliveira (sax), Victor Biglione (guitarra) e André Tandetta (bateria), do grupo instrumental A Tampa. Após o falecimento de Elis Regina, em 1982, acompanhou o violonista e cantor Toquinho em turnê pela Itália. Em 1986 e 1987, excursionou com Sivuca pela Escandinávia. Nessa época, iniciou sua carreira de compositor, com a canção “Xorinho com X”, gravada pelos artistas suecos do grupo Guitars Unlimited.

Em 1989 Luizão fundou a banda Banzai, integrada pelo baterista Paulo Braga, João Rebouças e Itamar Assiere (teclados), Cláudio Jorge (violão) e José Carlos Bigorna (sax e flauta), formação que participou do Free Jazz Festival e que foi considerada o melhor grupo de música instrumental brasileira pela crítica especializada.

Em 1990, Lisa Ono gravou sua música “Besteira”. Em seguida, o instrumentista acompanhou a cantora em turnê pelo Japão. Em 1993, retornou ao Japão, acompanhando a cantora Gal Costa, voltando a tocar com Sadao Watanabe. Em seguida, foi acometido de um A.V.C. que comprometeu o movimento do lado direito de seu corpo.

Em 1998, participou do show “Tributo a Elis Regina”, ao lado de Helio Delmiro e Nana Caymmi, no Town Hall de New York, tocando o baixo apenas com sua mão esquerda e atraindo elogios da crítica especializada.

Ao longo de sua carreira, Luizão Maia acompanhou, em shows e gravações, vários artistas como Tom Jobim, Elizeth Cardoso, Cartola, Elis Regina, Clara Nunes, Luiz Gonzaga, Gonzaguinha, Nara Leão, Nélson Cavaquinho, Roberto Ribeiro, João Nogueira, Beth Carvalho, Alcione, Maria Creuza, Emílio Santiago, Simone, Gal Costa, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Quarteto em Cy, Leny Andrade, Luiz Bonfá, João Bosco, Djavan, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Marcos Valle, Chico Buarque, Toquinho, Oscar Castro Neves, Rosa Passos, Lee Ritenour, Toots Thielemans, George Benson, Wayne Shorter, Lisa Ono e Janis Joplin, entre outros, num total superior a mil gravações realizadas.

Luizão Maia faleceu no dia 28 de Janeiro de 2005, no Japão.

A transcrição que publicamos abaixo é a linha de Luizão para a faixa Cai Dentro (Baden Powell/ Paulo César Pinheiro) CD “Elis, Essa Mulher” de Elis Regina – 1979 – (WEA). Esse samba de andamento acelerado deixa Luizão Maia a vontade para aplicar todo seu repertório rítmico baseado em instrumentos de percussão usados no samba. O arranjo é repleto de convenções com o baixo de Luizão, o piano Fender Rhodes de César Camargo Mariano e a bateria de Paulo Braga suingando juntos como uma verdadeira “usina de groove” a serviço da maravilhosa interpretação de Elis Regina.

partitura-baixo-musica-cai-dentro-luizao-maia
luizao-maia-cai-dentro-partitura
partitura-contrabaixo
fim-partitura-baixo
Transcrição de Alex Rocha
baixo sire
Alex Rocha

Bacharel em Música pela Universidade Estácio de Sá, Alex Rocha é baixista, compositor, arranjador e produtor musical.

Fez parte da banda do cantor Emílio Santiago de 2003 até 2013 tendo gravado seus DVDs “O Melhor das Aquarelas” em 2005 e “Só Danço Samba Ao Vivo” de 2011, premiado com o Grammy Latino como o melhor álbum de samba em 2012. Seu primeiro CD  solo ”Boas Novas” (Niterói Discos/2003) obteve excelentes resenhas da crítica especializada e foi co-produzido pelo baixista Arthur Maia.

Em 27 anos de carreira, Alex Rocha acompanhou artistas como Victor Biglione, Wagner Tiso, Celso Blues Boy, Bibi Ferreira, Itamara Koorax, Pery Ribeiro, Zé Renato, Leila Pinheiro, Fred Martins e Nico Rezende, e também grandes músicos da cena do jazz internacional, como Eddy Palermo, Phil DeGreg, Jeff Kunkel e Mark Lambert entre outros.

Na Rede Globo de Televisão participou do programa Gente Inocente entre 2000 e 2002, gravando inúmeras trilhas musicais veiculadas pela emissora.

Participou de festivais como: Festival Internacional de Blues do Circo Voador (1993); Nescafé in Blues (SP- 1994); Búzios Jazz & Blues 2000; Festival de Jazz & Blues de Fortaleza -2001; Tribulaciones Jazz Festival (Buenos Aires/2001); Ipatinga Jazz Live (2004 e 2008); Baltimore Waterfront Festival (E.U.A.- 2006); Curitiba Jazz & Blues Festival (2008); Festival de Jazz da Savassi, e Rio das Ostras Jazz & Blues em 2011.

Apresentou-se com seu grupo no 3º Niterói Musifesfest em setembro de 2006 recebendo como convidado especial Toninho Horta. Em 2009 gravou o CD “Aventura” do tecladista José Roberto Bertrami, lançado pela gravadora inglesa Farout Recordings, indicado ao Grammy Latino. No ano 2011 lançou o CD ”Cachet!” pelo selo Niterói Discos, em parceria com o guitarrista Marcelo Frisieiro. Em 2012 participou da gravação do programa “Som Brasil - Clube da Esquina” da Rede Globo de Televisão acompanhando Milton Nascimento, Lô Borges e Wagner Tiso. No mesmo ano passou a colaborar como colunista da revista Bass Player Brasil. No ano de 2014 participou do festival MIDEM em Cannes, França acompanhando o Andrea Dutra Quarteto  e o Cláudio Dauelsberg Trio.

Desde novembro de 2015 acompanha o cantor Daniel Boaventura em shows pelo Brasil. Também faz parte do Osmar Milito Trio e do quinteto liderado pelo pianista e cantor Nico Rezende no show em Tributo a Chet Baker trabalho esse que teve um DVD lançado em fevereiro de 2017 pelo selo Fina Flor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui