Entre as principais marcas de guitarra que constroem suas linhas mais acessíveis no oriente, a Paul Reed Smith – PRS – sempre se destacou por sua série SE de alta qualidade e confiabilidade. Ao longo dos anos, a gama SE expandiu-se além dos designs de corpo sólido básicos para incluir edições exclusivas e, agora, a nova SE Hollowbody Standard.

A SE Hollowbody Standard e sua prima Hollowbody II são construídas na China em uma instalação administrada pelo parceiro da Paul Reed Smith, a Core-Tek Musical Instruments. Assim como acontece com muitas guitarras PRS da linha SE, esta SE Hollowbody Standard oferece poucas pistas visíveis sobre seu posicionamento no mercado de “baixo custo” – ou mesmo de suas origens chinesas.

Guitarra-Paul-Reed-Smith-SE-Hollowbody-Standard
Guitarra Paul Reed Smith SE Hollowbody Standard

Ao contrário, destacam-se com brilhantismo a elegância típica do design da Paul Reed Smith, o hardware e a eletrônica criados pela PRS, cuidadosamente executados, além da tocabilidade – tornando esta PRS SE Hollowbody Standard um monte de guitarra pelo preço que custa.

Exemplos acima gravados com várias configurações em um modelador de amplificador Fractal Ax-FX III, direto para o Pro Tools.

  • 0:00 – Preset DC30, no limite da distorção, captador da ponte
  • 0:16 – com os dois captadores
  • 0:31 – captador do braço
  • 0:50 – Preset Deluxe Reverb, som limpo; captador do braço
  • 1:08 – com os dois captadores
  • 1:16 – captador da ponte
  • 1:29 – preset Cranked Plexi; captador da ponte
  • 1:48 – captador do braço

Nada de promessas vazias

Antes do primeiro modelo Paul Reed Smith Hollowbody vir à luz em 1998, os fãs da PRS provavelmente teriam dificuldades de imaginar como seria uma típica guitarra PRS, com seu design característico, em um corpo oco. Hoje em dia esta guitarra é um tipo de clássico moderno e uma parte conhecida da família PRS.

A SE Hollowbody Standard possui um corpo profundo de 2 ½” de espessura no ponto mais alto do tampo abaulado. O fundo e o tampo são de mogno de 5 camadas (a SE Hollowbody II tem o topo de flame-maple) e a guitarra é totalmente oca, exceto pelo bloco de maple que conecta a parte traseira com o tampo e serve de apoio para a ponte.

O braço também é em mogno, colado ao corpo, com escala de ébano. O resultado é uma guitarra maravilhosamente leve de cerca de 2,95 Kg.

A guitarra é construída em torno de especificações familiares da Paul Reed Smith. O comprimento da escala é de 25″ e o braço tem um perfil gordo e largura de 11/16″ na pestana. Os clássicos pássaros incrustados relacionam visualmente esta guitarra a modelos mais sofisticados, sendo o acabamento complementado com e complementam nas partes frontal e traseira do corpo, braço e mão, que são, por sua vez, um bom contraste com o acabamento tobacco burst da McCarty.

detalhe-da-ponte-e-captador

Os captadores são um par de humbuckers PRS 58/15 “S”, projetados para emular PAFs antigos e são conectados através de uma chave seletora de três posições, volume geral e tone geral. (Não há divisão de bobinas neste modelo.)

O hardware inclui a ponte stoptail da Paul Reed Smith e tarraxas sem trava (também estão disponíveis tarraxas SE com travamento para upgrade pós-venda).

Desconectada, a guitarra canta com volume, ressonância e equilíbrio impressionantes. A tocabilidade também é ótima em todos os aspectos – dos trastes impressionantemente bem-instalados ao formato do braço, que é fácil de amar.

Diversão a bordo

Testado através de um cabeçote Friedman Small Box de 50 watts e cabine 2×12, além de um Fractal Ax-Fx III em monitores de estúdio, a PRS SE Hollowbody Standard apresentou desempenho muito alto por seu preço de valor médio e me impressionou muito desde a primeira batida.

A regulagem fina tornou fácil mergulhar em qualquer estilo com confiança. Mas o mais impressionante foi trabalhar com uma grande variedade de abordagens de tocar e nunca pensar: “Se eu ajustar isso, ajustar isso ou substituir a outra coisa, essa guitarra ficará perfeita”. Ela á tão versátil e completa que, para muitos guitarristas, estará quase perfeita como vem de fábrica.

Eu empurro os humbuckers 58/15 “S” (que ostentam 7,74k ohms no braço e 8,46k ohms na posição da ponte). Cada um deles produz riqueza, doçura e gordura atraentes, mantendo uma excelente articulação – mesmo com distorção na mistura.

A substituição de peças e captadores são comuns em guitarras nessa faixa de preço, mas é difícil imaginar uma opção de captador que represente alguma grande melhoria nas unidades PRS.

Através de um amplificador limpo, a guitarra é clara, quente e profunda, com um toque de mordida que ajuda em cada posição de captação. Configurações limpas também revelam a dinâmica da guitarra – sensível a mudança de ataque na palhetada de atenuação e de volume.

Capriche na distorção ou no overdrive e a Paul Reed Smith SE Hollowbody canta e lamenta com confiança, com a mesma resposta viva que você ouve em configurações limpas e a capacidade de conjurar um feedback controlável que as semi-acústicas bem projetadas fazem tão bem.

Melhor ainda, não há um pingo de ruído se você for cuidadoso com as distâncias entre a guitarra e o amplificador.

guitarra-prs

O veredito

A capacidade comprovada da Paul Reed Smith de trazer design de alta qualidade à realidade funcional por um preço justo está presente na SE Hollowbody Standard.

É super tocável e parece um instrumento verdadeiramente profissional. Embora os modelos PRS de alta qualidade fabricados nos Estados Unidos sejam ocasionalmente criticados (geralmente por quem não os tocou) como “muito precisos” ou “muito limpos”, eu achei essa PRS SE muito precisa, limpa e cheia de personalidade – e extremamente inspiradora. E em mais de uma ocasião, fiquei me perguntando por que eu gastaria mais em uma guitarra.

Dave Hunter é escritor e músico que trabalhou nos EUA e no Reino Unido. Ele é o autor de The Guitar Amp Handbook, The British Amp Invasion, Guitar Effects Pedals, The Fender Telecaster, The Gibson Les Paul e uma dúzia de outros livros, além de colaborar regularmente com várias revistas de guitarra. Dave também lidera a banda A Different Engine, e mora em Portsmouth, NH, com sua esposa e seus dois filhos.

logo-premier-guitar-autor
Premier Guitar

Artigo originalmente publicado em Premier Guitar, traduzido e publicado por Musicosmos sob licença de Premier Guitar. Todos os direitos reservados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui