Teste do Way Huge Pork & Pickle

Review de Steve Cook para Premier Guitar.  Efeitos para guitarra têm servido como tempero secreto em muitas pedaleiras de baixistas  durante anos, mas recentemente um nome por trás de uma série de projetos de pedais icônicos cedeu à pressão e projetou seu primeiro pedal para baixistas. Conheça o Pork & Pickle, a nova oferta da Way Huge, destinada a satisfazer os ouvidos dos muitos músicos que ficam em cima do muro entre overdrive e fuzz. Como? A Way Huge, essencialmente, misturou dois de seus pedais reverenciados juntos – o Pork Loin e o Russian Pickle – para criar um cozido como nenhum outro.

Quando porcos voarem

Um mashup de dois pedais diferentes não é um conceito muito novo. A Way Huge (na verdade, Dunlop – os magos por trás da cortina) solucionou um problema quando pegou esses dois pedais que poderiam ser vistos como concorrentes e os uniu. E fez isso por uma boa ideia: quando não estiver ocupado causando danos com o lado OD e o ganho for diminuído, há um circuito de atenuação no lado Pork. Ele aumenta algumas frequências (pense em masterização suave para baixo) e combina bem com sua contraparte Pickle. Como alguém familiarizado com os dois pedais nos quais o Pork & Pickle é baseado, eu não podia esperar para provar este banquete.

Os controles são dispostos de maneira semelhante ao Pork Loin da empresa, mas com algumas diferenças sutis. Há uma chavinha mini toogle abaixo da luz indicadora azul que alterna entre OD e Fuzz. Os dois mini potenciômetros são para Clean Blend (o novo padrão em pedais de baixo) e Clean Tone, que controla o lado Pork do aprimoramento sonoro mencionado anteriormente.

Way Huge

O molho

Eu liguei um ‘75 Jazz RI e passei por um amplificador combo Eden CXC210. Começando com o overdrive (Pork), não demorou muito para descobrir como fazer este pedal soar alto. Em sua configuração mais minimalista, com o drive regulado baixo, o pedal adicionou maciez meu Jazz, que é o molho secreto para tantos grandes discos de rock. O Clean Blend não adiciona uma tonelada de timbre original à mistura, mas estabiliza as coisas quando você se aprofunda no efeito. Enquanto eu passeava através das diferentes combinações de Tone e Drive, meus ouvidos foram ouviram de tudo, de sons vintage a modernos. Eu usei o controle Clean Blend para ajustar o meu som entre fosco ou brilhante, dependendo do sabor desejado. Mudando para o lado fuzz (Pickle), eu diria que a sujeira é maravilhosamente desagradável. E o botão Tone muda o timbre fuzz que pode ser duro e sujo ou até caloroso. Eu compararia com as pontinhas queimadas de carne em um sanduíche. Eu não comeria um prato cheio, mas estou muito feliz por eles estarem lá.

Way Huge

Conclusão

A primeira incursão da Way Huge na arena dos pedais de baixo é, de fato, uma grande estreia. A porção Pork tem, obviamente, muito mais a oferecer e funciona muito bem se você quer apenas um colorido sujo. Eu teria gostado de um toque mais original, mas esse pedal irá sobressair na mixagem com autoridade. O que também é ótimo é que você não precisa decidir qual dos dois pedais populares do Way Huge comprar. Pegue apenas este dois-em-um saboroso.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui