Conheça dois incríveis Violões Gretsch

José Manuel López, da revista espanhola Cutaway, nos apresenta dois modelos de violões da tradicional marca Gretsch. São instrumentos incomuns que remetem à uma época passada, com muita personalidade e características um tanto particulares. São violões que não passariam despercebidos em nenhuma ocasião.

José Manuel López. Mantendo a atividade de fabricante de instrumentos musicais desde 1883, é difícil não associar a Gretsch Guitars a uma imagem vintage, focada no final dos anos 50, com expoentes como Eddie Cochran e outros músicos que começaram a jornada do rock and roll. Mesmo durante as décadas seguintes ela esteve muito presente em bandas de rock e psicodelia, sempre na seara da guitarra elétrica semi-acústica.

E sendo assim, também é verdade que estamos em 2019 e que a Gretsch ainda está oferecendo instrumentos que orbitam em torno destes sons clássicos e da atraente estética para os fãs destes tipos de música e de tendências, assim como outras contemporâneas mais indies.

No entanto, a Gretsch Guitars também produz guitarras acústicas e violões, e como não poderia deixar de ser, eles se conectam em visual e sonoridade com a imagem que acabamos de descrever. Vamos revisar dois instrumentos eletroacústicos com diferentes características e especificações, embora ambos partam de uma base comum que não é outra senão o conceito Gretsch. Primeiro o violão Gretsch Rancher G5034 Fideli-Tron, um dreadnought com captador e sistema de vibrato, e depois o Gretsch Rancher G5022 Falcon, um violão jumbo com pré-amplificador Fishman.

Violão Gretsch Rancher G5034 Fideli-Tron

violão-gretsch-rancher-inteiro

Este é um violão realmente original e diferente, não é usual ver instrumentos como este que é quase um híbrido de guitarra elétrica e violão, um conceito semelhante ao que vimos na Gibson Howard Roberts, embora este Gretsch pareça mais acústico do que elétrico, enquanto assinatura do jazzman americano aponte para o outro lado.

O violão tem uma aparência que não deixa ninguém indiferente, chama a atenção a cor do corpo, Savanah Sunset, que em conjunto com o dourado das ferragens lhe dá uma aparência muito interessante. É mais pesado do que um acústico normal, mas tem um hardware extra que justifica, esse violão testado pesa 3,3 kg.

Construção, headstock e braço.

O Rancher Fideli-Tron é um instrumento consistente, a sensação de quando você o toca se assemelha à de uma guitarra elétrica, o braço é feito em duas peças de mogno que seguem até o headstock. Com um perfil “C” pouco acentuado, é muito confortável de tocar e suave ao tato. Sim, vimos um pouco de cola na união com o corpo, ainda que esta junta seja correta e precisa. A escala do violão é feita de rosewood e tem 16 trastes vintage, os inlays são do tipo Neo-Classic Thumbnail.

O headstock possui tarraxas Deluxe Die-Cast douradas e o acesso ao tensor é coberto pela típica capinha em forma de sino. Seu acabamento é preto, exibindo o logotipo da marca e um adorno de ferradura em madrepérola. O nut é de 43 mm em osso sintético. Tanto o braço quanto o tampo mostram um friso de cor branca. O comprimento da escala é de 635 mm.

Corpo e eletrônica

captador-do -violão-gretsch

A forma do corpo é a de um dreadnought, com duas travessas longitudinais sustentando o tampo e placas de reforço sob a ponte Bigsby, que juntamente com o fundo arqueado são projetados para dar força estrutural ao violão, sem dúvida um dos grandes desafios deste modelo. Não é a toa que a simples ideia “vamos colocar um Bigsby no violão” traduziu-se em um ano e meio de pesquisas para poder dar-lhe uma forma correta e estável.

Também há na união das laterais, e destas com o fundo, belos filetes branco-preto-branco-preto. Como se pode ver, alguns bons acabamentos e uma estética muito cuidadosa.

As laterais e o fundo são feitos de mogno laminado. A boca no tampo é triangular, e isto é herança daquelas feitas nos anos 50 e que eram usadas então em publicidade para os artistas de country & western, mercado muito na moda naquela época. A profundidade da caixa é 85mm mais estreita do que o habitual em um dreadnought, mas isso o torna mais confortável de tocar.

O acabamento é em poliéster, uma camada muito espessa que ajudará em sua performance quando estiver plugado e não prejudica demasiadamente na projeção sonora acústica.

Embora o mercado esteja cheio de propostas para amplificar violões acústicos, na Gretsch eles decidiram desenvolver um captador humbucker, o Fideli-Tron, que também foi usado mais tarde em guitarras mais convencionais, como a Fender Cabronita. O captador tem como objetivo obter clareza e uma resposta muito limpa com pouca saída. A localização do captador também não é a usual, ele está localizado acima da boca, um lugar onde normalmente não há espaço e, portanto, a escala foi reduzida para 16 trastes – apenas para instalá-lo. Como parte da pesquisa, chegou-se à conclusão de “fechar” o captador em uma câmara de isolamento para evitar possíveis problemas de feedback, o cavalo de batalha na amplificação da acústica. Esta câmera não é nada além de uma caixa de madeira. No tampo há um botão para controle de volume.

A ponte com base de rosewood é uma Rocking Bar e o cordal é um Bigsby B70G com a alavanca “Chet Atkins”.

Timbre e conclusões

A primeira conclusão a que chegamos é que não é um violão puro, a Bigsby e a ponte de metal fazem uma diferença importante, da mesma forma que os trastes vintage, e além disso o braço tem um quê de guitarra Gretsch elétrica.

A afinação é muito estável, algo que pareceu a priori difícil devido às características do violão e sonoramente exibe uma boa presença de médios e menos brilho que o habitual, lembrou-nos o som jazzístico de uma archtop, possivelmente devido à localização do pickup perto do braço e não da ponte, como de costume. Se for equalizado com a subtração de freqüências baixas e médias-baixas, ele melhora sonoramente e, curiosamente, convida a frasear ao invés de tocar acordes abertos.

Este violão faz sumir a linha que separa um violão eletroacústico de uma guitarra elétrica, levando-nos a alguns terrenos muito interessantes para explorar e que, dependendo do estilo musical, nos permite criar diferentes paisagens sonoras. Uma opção a ter em conta para um segmento de sons clássicos e estéticos pouco inclinado à inovações.

Violão Gretsch Rancher G5034 Fideli-Tron

FabricanteGretsch Guitars
ModeloRancher G5034 Fideli-Tron
CorpoTampo de maple com laterais e fundo de mogno
Braço2 peças de mogno
EscalaRosewood
Trastes16 tipo vintage
NutOsso sintético
PonteBase de rosewood com Rocking Bar e Bigsby B70G
HardwareDourado
Tarraxas Deluxe Die-Cast
Captadores1 Fideli-Tron Humbucking (braço)
ControlesVolume
Entrada de jackLateral
AcabamentoSavannah Sunset

Violão Gretsch Rancher G5022 Falcon

violão-gretsch-falcon-branco

O Gretsch Rancher G5022 Falcon é um violão eletroacústico clássico, uma surpresa como instrumento e também no sucesso de vendas. Tem tamanho e volume grande de acordo com o Jumbo que é, deixa o braço muito bem apoiado ao tocar e em pé sua corpulência não incomoda.

Construção, headstock e braço

A primeira coisa a notar é o acabamento brilhante em branco que cobre a guitarra inteira, incluindo o braço. Apresenta um binding em dourado brilhante envelhecido circundando o corpo, headstock, braço, tampo e fundo, bem como no contorno da boca.

O headstock tem o típico design Falcon em forma de “V” de todas as séries e se observa o mesmo brilho, ornamentação, o logotipo da marca e a capa protetora do acesso ao tensor.

As tarraxas são Deluxe Die-Cast douradas, assim como o hardware deste rancheiro. O nut é feito de osso sintético e tem um largura de 43mm.

O braço de mogno oferece um perfil “C”, confortável, mantém a mão bem apoiada para tocar acordes na parte grave e confortavelmente atinge os tons mais altos, embora não seja particularmente uma guitarra projetada para solos. A escala em rosewood tem inlays na posição do polegar (Neo-Classic Thumbnails) e 21 trastes tipo vintage.

Corpo, eletrônica

O corpo possui um tampo plano de abeto maciço com o contraventamento escalopado em X, a sua medida é de 17 polegadas, as laterais e o fundo são em maple laminado, sendo que o fundo é abaulado. O soundhole do tampo tem a forma triangular como seu companheiro Fideli-Tron, ambos recriam a mesma época. A ponte é feita de rosewood em sua base e mostra um rastilho compensado feito de osso sintético que guia as cordas ancoradas em seis pinos.

No nível eletrônico, há um sistema de pré-amplificador Fishman Isys III (NT: atualizado para Presys III nas versões atuais), com equalizador de médios, graves e agudos, além de um afinador. Por fim, o corpo é protegido por um escudo dourado com um falcão gravado.

detalhe-do-headstock-violão-gretsch-falcon

Sonoridade e conclusões

O violão tem bom acabamento, os trastes estão bem alinhados e não são observadas pontas afiadas. Pelo menos esta unidade veio com uma ação correta, não precisaria de nenhum ajuste.

O timbre com o violão desconectado é potente, forte e com os graves claros, limpos e bem definidos, uma presença significativa de médios e agudos contidos. Quando plugado, o som ainda melhora em geral, é enriquecido. Certamente, com o passar do tempo e das horas tocadas ele vai ganhar em qualidade, como acontece com os instrumentos acústicos em geral.

Uma opção muito boa para a classe média, se olharmos para o preço desta Rancher, difícil de superar.

Violão Gretsch Rancher G5022 Falcon

FabricanteGretsch Guitars
ModeloRancher G5022 Falcon
CorpoTampo em abeto, laterais e fundo de maple
BraçoMogno
EscalaRosewood
Trastes21 tipo vintage
NutOsso sintético
PonteRosewood
HardwareDourado
Tarraxas Deluxe Die-Cast
Pré-amplificadorFishman Isys III
Entrada de jackLateral
AcabamentoBranco com binding Gold Sparkle

Artigo original de Cutaway Revista de Guitarras. Traduzido por Musicosmos e publicado sob licença de Cutaway®. Todos os direitos reservados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui